Buscar

Rumo a “nova” normalidade

Todo o mundo segue afetado pela propagação do COVID-19, mas muitos países já começaram a diminuição progressiva da quarentena. O que, na prática, significa as diretrizes que os governos estão dando, a partir do conhecimento de certos cientistas, para voltar a sair de casa. Na Espanha, que é um dos países mais afetados, o governo estabeleceu uma série de objetivos e critérios (sistema sanitário, situação epidemiológica, mobilidade, etc.) para poder iniciar esta redução. A avaliação conjunta de todos os indicadores determinam quando uma província está pronta para avançar para a seguinte fase das 4 que representa a redução. A última fase é chamada de “nova normalidade”.

“Isso não é somente uma crise de saúde pública, é uma crise que afetará a todos os setores”, é o que os políticos, cientistas e epidemiologistas repetem continuamente nos jornais. A curto prazo, quando tudo isso acabe, nossa vida cotidiana mudará, as cidades já não serão as mesmas e as pessoas agirão de uma forma diferente. Até que uma vacina seja encontrada, nós entramos num mundo muito menos físico e muito mais virtual. Um mundo onde não podemos beijar ou cumprimentar as pessoas e onde as ferramentas digitais nos ajudarão a gerenciar emergências de saúde pública.

Tecnologia e COVID-19

As ferramentas tecnológicas são essenciais para estes momentos de crise. Por exemplo, a Universidade Johns Hopkins lançou um mapa interativo para monitorar os casos de coronavírus em tempo real usando a tecnologia de Esri. O sistema compila dados oficiais sobre as zonas onde existem surtos do vírus, os pacientes recuperados e os falecidos. O objetivo do mapa é oferecer dados confiáveis atualizados, combater a desinformação e evitar a difusão de notícias errôneas e precipitadas.

Outra grande vantagem que a tecnologia tem é o poder de medir a temperatura dos passageiros nos aeroportos e nos hospitais. Muitos já instalaram câmeras com sensores térmicos que permitem detectar se a temperatura é superior ao normal.

E para a limpeza, alguns hotéis, hospitais e outros edifícios públicos começaram a utilizar robôs que desinfectam emitindo raios ultravioletas. Desta forma, o sistema promete eliminar qualquer vírus ou microorganismo sem intervenção humana, tanto as superfícies como o ar.

O home office chegou pra ficar

A tendência de trabalhar remotamente, ou seja, desde casa, já existia. Mas, depois da declaração do estado de alarme, aumentou de maneira acelerada. O teletrabalho é a chave para reduzir o número de pessoas expostas ao coronavírus. 

As vantagens que o teletrabalho oferece para as empresas são:

  • Muitos profissionais se sentem mais produtivos trabalhando desde casa, já que não há muito ruído nem distrações como no escritório. Em uma pesquisa interna, 54% dos colaboradores da Nicequest afirmaram que sua produtividade desde casa é maior.

 

  • Com o teletrabalho é possível ter mais flexibilidade, sempre e quando o posto de trabalho e função permitem. Por exemplo, é possível escolher à que horas prefere começar a trabalhar, cedo pela manhã, tarde ou pela noite. Este horário ad-hoc, facilita novamente o aumento da produtividade.

 

  • A liberdade de organizar o tempo que se dedica ao trabalho, para muitas pessoas, é uma oportunidade única para o desenvolvimento da vida pessoa, tanto aprendendo novas habilidades ou desfrutando do seu ócio e tempo livre.

 

  • Já que é necessário se deslocar até o escritório, o que significa economia de tempo, dinheiro, menos estresse e menos contaminação

 

Entretanto, o home office também possui suas desvantagens.  Um claro exemplo é a falta de comunicação e ambiente de trabalho ao não poder ver seus colegas de equipe cara a cara. Já sabemos que, não existe tecnologia no mundo que possa substituir a sensação que dá uma boa conversa na frente da máquina de café! 😁

Também é muito comum que seja difícil para muitas mães e pais, poder trabalhar de casa e cuidar das crianças ao mesmo tempo, já que não podem ir à escola. Devem estar na frente do PC sempre conectados, fazendo comida dos seus filhos, ajudando-os com os deveres de casa ou montando Lego. As tarefas em um só dia são muitas, fazendo a conciliação entre a vida profissional com a familiar seja ainda mais difícil.

 

 

Novos costumes

Depois do período da quarentena e até que uma solução definitiva seja encontrada para esta pandemia, é provável que nossa vida cotidiana mude em vários aspectos: utilizaremos muito mais tecnologia, nos tocaremos muito menos, não vamos poder viajar ao exterior, nem ir a festivais ou shows. Teremos que agendar sempre nossa ida ao cabeleireiro ou para comprar roupas (os analistas falam sobre as mudanças nos padrões de compra). Faremos casamentos sem convidados e espetáculos online. Vamos rezar sem pisar nos centros religiosos e vamos buscar outras maneiras de socializar. Além disso, vamos lavar as mãos com muito mais frequência, vamos manter a distância social dos demais, vamos usar máscaras e luvas. 

No Instagram, perguntamos a nossos seguidores o que eles têm aprendido com esta situação até o momento, e recebemos muitas respostas positivas. A maioria respondeu que agora dão muito mais valor a pequenas coisas, apreciam mais ainda a companhia dos de pessoas queridas e que aprenderam a viver de uma maneira mais relaxada, com menos estresse.

 

 

Nosso mundo mudou muito, mas isso não significa que tudo vai ser pior. É questão de costume. E pronto! Vamos voltar a ver sorrisos atrás das máscaras.

 

 

Você gostou desse artigo? Como você acredita que será a “nova normalidade” depois da quarentena? Conte-nos sua opinião nos comentários!

 

Adicionar um comentário

*

  1. ivonete | 2 August, 2020

    gostei

  2. Layzy | 1 July, 2020

    Agora nós devemos nos adaptar a essa nova realidade…

  3. Rosa Beatriz | 29 June, 2020

    Penso que nos devemos adaptar à nova realidade/normalidade..
    Também acho que tem de mudar o modelo político e económico no mundo inteiro

  4. Taize Xavier | 15 June, 2020

    Ameu esse artigo. Só li verdades. Amei saber que o homme hoffice pode vir pra ficar. Sempre quis trabalhar assim. O mundo não será o mesmo.

  5. jose Valentim Ramiro dos santos | 24 May, 2020

    Normalidade acho difícil …mas sempre vai haver medo de novas contaminações

  6. Emanuel | 24 May, 2020

    Esta será a nossa vida de futuro… teremos de nos adaptar e seguir a vida da melhor maneira possível!!

  7. Maria Das Graças Rogerio de Paula Correa | 23 May, 2020

    Realmente vai ser muito diferente da que vier como antigamente.Ficaremos
    os mais distante das pessoas a que amamos muito.nossos amigos

  8. Vitorino Mota. | 23 May, 2020

    Boa tarde,sim para já a mudança é notória ,mas conhecendo o meu/nosso Povo convenço -me que vai voltar à normalidade em pouco tempo.

  9. Viviane Giampauli | 23 May, 2020

    Muitos irão se conformar , outros irão se revoltar . A vida segue é apenas uma questão de se adaptar.

Topo