Buscar

Tratamento de catarata em Burkina Faso: uma entrevista com Amigos de Rimkieta

Os membros da Nicequest juntos já ajudaram as pessoas em Burkina Faso, fornecendo-lhes mais de 700 bicicletas e ainda mais kits escolares e suplementos vitamínicos. Essas são as campanhas de doação que temos constantemente em nossa loja para apoiar o compromisso da Amigos de Rimkieta, uma organização sem fins lucrativos ativa em um dos bairros mais pobres da capital de Burkina Faso.

Recentemente, adicionamos mais uma campanha à nossa seção de Doações: “Tratamento de catarata em Burkina Faso”. Leia nossa entrevista com Maria, de Amigos de Rimkieta e doe seus Caracóis se quiser colaborar com essa causa!

 

Como surgiu a ideia de fazer uma campanha de intervenções oftalmológicas?

María: As cataratas são a primeira causa de cegueira em Burkina Faso. Uma cegueira que pode ser evitada com uma simples intervenção.

A ideia de fazer uma campanha para intervenções oftalmológicas é o resultado da expedição oftalmológica não cirúrgica de revisão/diagnóstico e tratamento de adultos e crianças, realizada pela Fundação Barraquer em 2013. Dos 1.000 pacientes visitados, foram diagnosticados 155 casos (a grande maioria deles catarata, mas também outros como pterígio, triquíase, síndrome de Marfan ou ptose congênita).

O alto custo de uma intervenção oftalmológica em condições de saúde seguras é de € 180. Um preço inatingível para a maioria da população de Burkina, que não vive e sim sobrevive no dia-a-dia com grandes dificuldades e recebem aproximadamente 30€ por mês.

Por isso, decidimos continuar a expedição oftalmológica da Fundação Barraquer, com uma campanha de intervenções oftalmológicas.

O problema não é que não tenha médicos e sim o alto custo do tratamento.
O problema não é que não tenha médicos e sim o alto custo do tratamento.

Como foi organizada a expedição oftalmológica em 2013 e em que consistia?

María: Nas semanas anteriores à expedição, fizemos uma seleção dos pacientes entre todas as crianças e seus pais beneficiários dos projetos FAR, através de prontuários médicos. Com base na seleção, organizamos os turnos de visita em  14 pacientes por hora, começando às 7h e terminando às 19h, totalizando 140 pacientes agendados por dia.

A expedição durou uma semana, uma semana de intenso trabalho da equipe de 2 médicos e dois optometristas da Fundação Barraquer (Idoia Rodríguez Maiztegui, Cristina Fernández-Vigo, Cristina Vilá e Silvia Baró), acompanhados por duas enfermeiras de Burkina especializadas em oftalmologia, M. Ouedraogó e M. Sanou.

Além disso, tivemos a colaboração indispensável de três tradutores de Mooré (a língua Moosi, etnia majoritária de Burkina) para o espanhol, para facilitar a comunicação dos médicos com pacientes.

 

Como vocês encontraram o médico que faz as intervenções?

María: Em Burkina, existem clínicas oftalmológicas com profissionais e material adequado para realizar a maioria das intervenções oftalmológicas.

As intervenções são realizadas na clínica Schiphra, pelas mãos do Dr. Ziema, cirurgião com vasta experiência e muito envolvido e interessado no trabalho social das FAR.

Tratar a catarata é fácil e muda a vida das pessoas.
Tratar a catarata é fácil e muda a vida das pessoas.

Você pode compartilhar alguma um episódio da expedição ou das intervenções?

María: O que mais destacaria é a gratidão de todos eles, principalmente daqueles que atingiram um grau de catarata que os impedia de ver e que, graças à intervenção, recuperam a visão.

Em geral, o que você mais gosta no seu trabalho?

María: Nosso objetivo é desenvolver as melhores condições de vida possíveis para os moradores de Rimkieta.

Sem dúvida, o que mais gostamos é a gratificação dos resultados do nosso trabalho. Um trabalho que realizamos de forma empresarial sem fins lucrativos, mas sim de superávit. Trabalhamos com o mesmo rigor, dedicação e antecipação que qualquer outra empresa.

E o resultado desse trabalho é ver todos os dias mais de 1.000 crianças ir ao jardim de infância ou à escola, graças à FAR (Fundação Amigos da Rimikieta) e como centenas de famílias têm acesso à água graças aos nossos poço, andar pela rua e ver mulheres e crianças andando de bicicleta que fornecemos e claro as crianças de rua e as meninas sem escolarização estamos liberando de um casamento precoce forçado.

Quais são os novos projetos em mente?

María: O segundo princípio de ação da FAR é “perseverar mais do que englobar”, porque é uma mudança cultural, e não apenas material e isso exige tempo e dedicação. Por isso, ano após ano, priorizamos o uso de nossos esforços no melhor funcionamento de todos os projetos já em andamento em Rimkieta, com pessoal quase que exclusivamente local, em vez de criar novos projetos.

Além dos projetos em andamento, alguns deles já em andamento há 15 anos, este ano realizamos dois novos projetos: uma campanha de conscientização contra a mutilação genital feminina e outra para a segurança no trânsito.

E no próximo ano, queremos expandir as instalações do jardim de infância de 300 para 450 crianças beneficiárias.

 

Gostaria de apoiar esta causa? Visite a seção Doações na loja Nicequest e doe seus Caracóis!

Adicionar um comentário

*

  1. jose augusto santos ferreira | 27 November, 2019

    A vida e bela doando

  2. Ricardo Alexandre Lopes | 25 November, 2019

    Parabéns sinceros aos cidadãos de Rimkieta um abraço a todos aqueles que melhoraram e foram ajudados pela nicequest afinal sou também africano

  3. Bruno | 22 November, 2019

    Excelente avanço na medicina

  4. Alessandro Gonoring Binow | 21 November, 2019

    Nicequest, é incrivel como vocês gostam de facilitar a vida das pessoas. Vocês são os melhores. Agradeço por eu ter conhecido vocês!#obrigadonicequest

Topo